Recantos da Terra - domingo 27 outubro 2013

SHIGUERU, Resende.

 

Quem disse que a comida japonesa se resume a sushi e sashimi???

Karla, minha companheira é sansei – ou seja, neta de imigrante – e sempre me disse que esse é só um nicho da riquíssima comida japonesa. Aliás, sempre reforçou que dada a pesada carga de trabalho diária do japonês, jamais poderia se sustentar de arroz, peixe cru e algas.

Isso quer dizer que sushi e sashimi não são tradicionais comidas japonesas? Não é bem isso.

Como se sabe, a comida tradicional japonesa chegou o Brasil com as primeiras imigrações, muito provavelmente, já no desembarque do Kasato-Maru em Santos, em 1908.

No entanto, a partir de meados da década de 80, o brasileiro passou a incorporar a comida japonesa no seu cardápio. Ocorre que, o que se apresentou desde sempre foi uma linha de comidas leves, como os mencionados: sushi, sashimi, e temakis e os “americanos” hot filadelphia, hot california[1]. Em geral, aqueles à base de arroz, alga e peixe cru.

Mais tarde, pratos compostos como yakisoba ou frituras como tempurá, chegaram ao conhecimento do grande público. Ainda assim, as pessoas – por falta de informação – têm a impressão de que basta pegar um sashimi com o hashi que sabe tudo de comida japonesa.

Os pratos de uma refeição tradicional japonesa em geral são cinco – Teishoku – e, via de regra, servidos simultaneamente: uma sopa, um cozido, um grelhado, pequenas guarnições de legumes e o onipresente arroz.

Bem, no Shigueru temos uma prova do que é a verdadeira comida japonesa, onde pratos de carne de vaca, de porco e de frango coabitam tranquilamente entre salmões, algas e arroz.

Mais uma vez, pedi um prato de Karê (molho picante à base de curry, com batatas, cebola e cenouras) com um mix de três carnes (porco, vaca e frango, todos fritos, tipo a milanesa). Aliás, o Karê é o prato base de muitas outras possibilidades, tais como legumes, peixes, tonkatsu, etc.[2]

Dessa vez, Karla pediu um combinado de sushi e sashimi de entrada[3] – essa, aliás, é a verdadeira função desses alimentos – e Teishoku de Tempurá (escolheu tempurá de legumes). Fiquei com vontade de experimentar o Gyoza[4]: (pasteizinhos fritos com recheio de carne de porco), mas já não havia mais possibilidades físicas.

Em que pese vinhos à base de Sauvignon Blanc e espumantes combinarem com a comida japonesa “pop”, meu prato aguentaria um tinto potente sem maiores problemas, um syrah, inclusive. Mas, saque e cerveja Sapporo e Kirim deram conta do recado.

Vale dizer o Shigueru não aportou em Resende por acaso. Segundo Paulo, o simpático proprietário, a recente chegada da fábrica da Nissan o trouxe de Curitiba – onde já tinha um restaurante tradicional – para atender aos isseis[5] que demoram a se adaptar à culinária brasileira.

Ainda, de acordo com o proprietário, o público local ainda estranha um pouco, pois espera justamente aquele “padrão de quiosque shopping” de comida japonesa. Em compensação, muitos coreanos[6] começam a frequentar o local, pois a comida japonesa está muito mais próximo da “thai” do que a culinária brasileira.

Enfim, um lugar bastante agradável e com comida primorosa. Vale conhecer…

 

Status: RECOMENDADO!!!!!!![7]

 

Localização:

Rua R. Coronel Brasiel, 33 – Campos Elíseos.

Resende, Rio de Janeiro

https://www.facebook.com/pages/Shigueru/440912055968892?fref=ts

 

 

 



[1] Não pertence a comida tradicional japonesa, mas sim um Hossomaki na versão americanizada de uramaki.

[2] Carne de porco frita, tipo à milanesa.

[3] Em nossa visita anterior, havia pedido um Arenque, que se come cozido, porém, sem limpar as entranhas.

[4] Além de frito, pode ser cozido no vapor.

[5] Japonês que imigra para a América.

[6] A fábrica da Hyundai aportou em Itatiaia (cidade vizinha), quase ao mesmo tempo que a Nissan em Resende.

[7] A visita foi efetuada por Cello Carneiro e Karla Takayama, no dia 18 de maio de 2013.

 

Tags:, , , ,

4 comentário(s) sobre “SHIGUERU, Resende.

  1. adorei os esclarecimentos , muito interessante e util para nos , os tupiniquins, sempre achei muito a culinaria que conhecia do japao, tinha que ter mais coisas. obrigado cello e karla pelas informalçoes. Virgilio

  2. Oi, Marcelo! Não fui ao Shigueru ainda, mas fui apresentada à “verdadeira” comida japonesa no Azumi, em Copacabana, q é sensacional!

    • Oi, Claudinha.
      A Karla sempre me ensinou que o que se come em geral (sushis, sashimis, etc) efetivamente fazem parte do cotidiano, mas apenas como entradas. Até porque, como o japonês trabalha muito, essa comida extremamente leve, é incapaz de prover a energia necessária. Pratos quentes, carnes variadas, cozidos, etc…
      Hot Philadelphia é coisa de americano (rsssssss)

      Beijão

      Ah! Vá conhecer o Shigueru. Vale a pena.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


× 7 = trinta cinco

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>